A dúvida e a tensão de sair do prédio

Nivea Gloria é paraguaia e participava pela primeira vez de uma ocupação

Semanas antes da reintegração do prédio na Florêncio de Abreu, alguns moradores já iniciavam a organização para sair do prédio. Pensavam em como e para onde ir, mas sem nenhuma resposta concreta do poder público criava-se uma grande dúvida. A vendedora de 37 anos Nivea Gloria Santa Cruz morou na ocupação da Florêncio de Abreu, 48, e nos relatou como era a situação anterior ao dia de saída do local.

Centro Ocupado

Era sua primeira vez em um movimento de moradia. Nivea pagava aluguel, mas o dinheiro foi “ficando curto” e decidiu mudar-se para o local ao lado da Estação São Bento (Linha 1- Azul do Metrô).

Saiba mais sobre a ocupação na Florêncio de Abreu, 48

Preocupada com a situação em que ficariam seus filhos, em seu depoimento,  demonstra a apreensão, não somente dela, mas como de alguns moradores que viviam ali, algumas semanas antes da reintegração. O único destino que tinha em mente era morar embaixo da ponte.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s