Cansada da espera pela moradia digna

No salão social da ocupação da Florêncio de Abreu, 48, Gilza pede licença e senta-se para conversar com a reportagem do Centro Ocupado. Aos 43 anos, a servidora do Tribunal de Justiça completa cerca de 16 anos na luta por moradia.

Em 1997, Gilza Marques de Oliveira passava por dificuldades financeiras e decidiu participar da ocupação do imóvel do INSS na Avenida 9 de Julho. Ao mesmo tempo, o movimento de moradia no centro de São Paulo dava os primeiros passos, com algumas ocupações de prédios. Ela até conseguiu cadastro na Prefeitura, porém com a demora da realização da moradia popular, decidiu deixar a luta, voltando a participar desta batalha após muitos anos na Florêncio de Abreu.

Veja o vídeo da entrevista com a moradora na Ocupação Florêncio de Abreu, 48:

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s